Confira as outras reflexões

A ÁGUA E  O ÓLEO.

Em um dia de aula prática de química, eu pedi que colocassem um pouco de água em um Becker (que nada mais é do que um copo de vidro de laboratório), todos colocaram. Abri uma garrafa de óleo de cozinha e pedi que colocassem um pouco de óleo no mesmo Becker, todos colocaram. Distribuí um bastão de vidro para cada aluno  e pedi que agitassem aquela mistura com vigor, todos agitaram com muito vigor. Depois da agitação pedi que deixassem a mistura um pequeno instante em repouso. Depois de alguns poucos minutos pedi que observassem o que havia acontecido. Repetimos tudo de novo duas vezes, sempre observando o que acontecia.

Depois fomos fazer a resenha daquilo que havia acontecido, todos disseram que viram que a água e óleo não se misturavam. Quando agitávamos até parecia que iam se misturar, mas logo depois o óleo já estava na superfície da água.

Como fechamento dessa simples experiência, perguntei então qual era o motivo que não deixava o óleo se misturar com água, na esperança que alguém falasse sobre as propriedades químicas e físicas daqueles líquidos. De fato alguns alunos mostrando todo seu conhecimento souberam dar explicação para aquilo e quando avançávamos nos conceitos químicos, eis que surge um garoto, bastante brincalhão, e diz que era tudo muito simples e sem mistério, a água e o óleo não se misturavam por que o óleo não queria de jeito nenhum mergulhar na água, a risada foi geral e longa, alguns colegas deram uns tapinhas na cabeça dele (coisa de adolescente) e depois continuamos.

Depois da aula, enquanto guardava os materiais da aula, fiquei pensando naquilo que aquele menino falou, quantas vezes não nos misturamos com Deus por que não queremos mergulhar Nele de verdade, em certas ocasiões (retiros, encontros, pregações, grupo de oração, etc) somos agitados e até parece que vamos nos misturar com Ele, mas no minuto seguinte já estamos na superfície.

 Que o Espírito Santo de Deus nos mostre o que nos tem levado para a superfície, o que nos impede de mergulharmos de fato em Deus, de nos misturarmos com Ele a ponto de não mais ser possível perceber divisão entre nós e Ele, a ponto de não haver possibilidade de saber onde termina um e onde começa o outro.

Mais do que isso, que o Espírito Santo de Deus nos capacite para vencer esses obstáculos terríveis a tempo de não perdermos a nossa vida.

 Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa, recobrá-la-á. Que servirá a um homem ganhar o mundo inteiro, se vem a prejudicar a sua vida? Ou que dará um homem em troca de sua vida?… (Mt 16; 25-26)

 Prof. Luís César

Luís César é Professor de Química e Engenheiro Agrônomo, Coordenador Pedagógico do Ensino Médio do Colégio Salesiano São Gonçalo (Cuiabá-MT), participa do Grupo de Oração Oração João Paulo II-Peregrinos do Amor e junto com a sua esposa Regina Helena é fundador da Comunidade Alma Missionária.