Confira as outras reflexões

A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma força divina.  Está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e anularei a prudência dos prudentes (Is 29,14).  O que é loucura no mundo, Deus o escolheu para confundir os sábios; e o que é fraco no mundo, Deus o escolheu para confundir os fortes;  e o que é vil e desprezível no mundo, Deus o escolheu, como também aquelas coisas que nada são, para destruir as que são. (ICor 1; 18-19, 27-28)


Todos conhecem o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, Eu vim para servir, acredito que esse tema tenha remexido nos corações de muitos de nós.

Uma prova disso é que tenho escutado falar bastante a palavra ativismo, que tem brotado das bocas com grande facilidade como uma defesa contra o chamado a servir a Deus e aos irmãos.

Ativismo é quando as atividades são mais importantes do que a essência, que é Deus.

Para alguns de nós gastar o tempo com pessoas, ouvindo-as, orando por elas, mostrando o amor de Deus, anunciando a Boa Nova é ativismo, visitar doentes é ativismo, visitar o irmão de caminhada que sofre é ativismo, promover atividades que atraem e unem as pessoas em torno do Amor de Deus é ativismo, carregar um alfinete pela obra de Deus é ativismo.

Imagine se a Madre Tereza, a Irmã Dulce, o Papa João Paulo II pensassem dessa forma.

Muitos  de nós tem medo de ser ativista de Deus, mas nos entregamos ao ativismo do mundo, não podemos participar de atividades da Igreja, mas quando estamos em casa não damos a menor atenção para a família, trabalhamos 18h. por dia e dormimos as outras 6h., na verdade algumas vezes encontramos tempo, para navegarmos na internet, assistirmos novelas, praticarmos um hobby.

Eu proponho algumas atividades (sem querer ser acusado de ativista) para medir o grau de ativismo, eu proponho para essas atividades um instrumento, uma balança de braços.

justice scale

 Atividade 1:

Coloque em um dos braços dessa balança toda as atividades você faz pela obra de Deus, no outro braço tudo que você faz pelo mundo e quando pensar em mundo, não pense somente nas coisas que todos reconhecem como pecaminosas, pense no trabalho, no social, no lazer, …


 Atividade 2:

Coloque em um dos braços dessa balança todas as atividades que você faz pela obra de Deus, no outro braço a sua oração, a escuta, a leitura da Palavra de Deus, a Eucaristia que você tem recebida, o jejum que você tem feito, a intimidade que você tem estabelecido e cultivado com o Espírito Santo, o tempo de adoração ao Santíssimo e a oração no Sacrário.


Para que lado pendeu a balança?

É loucura sim!!

Talvez estejamos buscando seguranças humanas, uma espiritualidade que esteja dentro dos padrões sociais estabelecidos não pela Sabedoria de Deus, mas pela sabedoria do mundo e aí a palavra ativismo surge fácil em nossas bocas para ludibriar o nosso coração, queremos nos enganar, queremos nos defender daquilo que a Palavra de Deus Prega de maneira clara e inquietante, mas na verdade não queremos é nos comprometer. Dá muito trabalho!!

De fato, o ativista não tem tempo para a essência.  O ativista não tem tempo para família, que é dom de Deus. O ativista não tem tempo para a leitura da Palavra de Deus. O ativista não tem tempo para a vida de oração e escuta. Não tem tempo para os sacramentos. Não tem tempo para o Espírito Santo e os exercícios de seus Carismas.

Mas sendo assim, existem muitos de nós que somos ativistas mesmo quando não fazemos absolutamente nada.

Somos os ativistas do zero à esquerda!!! Os mornos que serão vomitados.

Prof. Luís César

Luís César é Professor de Química e Engenheiro Agrônomo, Coordenador Pedagógico do Ensino Médio do Colégio Salesiano São Gonçalo (Cuiabá-MT), participa do Grupo de Oração Oração João Paulo II-Peregrinos do Amor e junto com a sua esposa Regina Helena é fundador da Comunidade Alma Missionária.